Jogos e Brincadeiras – Corrida Costas com Costas e Caranguejo

Correr costas com costas não é fácil, por isso é preciso muita cooperação para vencer esta corrida.

 

 
Jogadores: 4 ou mais (número par), mais um adulto para supervisionar
Idade: 6 a 11 anos
Local: ao ar livre, em gramado
Equipamento: pedras, palitos ou giz para marcar as linhas

 
A Corrida Costas com Costas pode ser realizada como corrida simples ou com revezamento. Este torneio requer alguma coordenação real, portanto não é apropriado para pré-escolares. As crianças certamente se divertirão com a dificuldade deste exercício. Esta corrida requer um número par de jogadores, pois é realizada em duplas.

 
Para começar, são marcadas duas linhas no chão, a uma distância de 6 metros uma da outra; são estas as linhas de largada e virada. Se for uma corrida simples, cada jogador posiciona-se costas com costas e de braços com seu parceiro. As duplas ficam em fila na linha de largada. Quando todos estão a postos, o adulto que supervisiona o jogo grita “Um, dois, três e já!”, e as duplas partem na direção da linha de virada – correndo da maneira mais rápida e eficiente possível, seja ela qual for. Em geral, um jogador move-se à frente e o outro atrás, mas é permitido que ambos corram de lado ou usem métodos diferentes, conforme se movimentam. No entanto, não podem soltar os braços em nenhum mmomento durante a corrida. Ao alcançar a linha de virada, fazem a volta e retornam para a linha de largada. A primeira dupla que completar a ida e a volta será a vencedora.

 
Se a corrida for com revezamento, cada equipe forma uma fila de duplas atrás da linha de largada. A primeira dupla de uma equipe dá a largada, corre para a linha de virada e retorna. Só quando a primeira dupla retornar e cruzar a linha de largada é que a segunda dupla da equipe começa seu segmento da corrida. As equipes de revezamento podem ter quantas duplas forem necessárias para participar. A primeira equipe em que todos os membros cruzaram a linha de chegada é declarada vencedora.

 
 
Corrida de Caranguejo

 
Outra corrida divertida é a Corrida de Caranguejo. Os jogadores não precisam ser “caranguejos” para participar desta corrida, mas têm de saber rastejar como eles. 🙂

 
Esta variação da corrida de revezamentos tradicional é bastante competitiva porque os participantes têm de fazer o percurso rastejando de lado como os caranguejos! Para ficar na posição de “caranguejo”, o corredor fica de costas e depois dá o impulso para cima apoiado nos braços e pernas – é uma boa ideia que um jogador experimente em ser “caranguejo” demonstre esta posição bem como o movimento lateral, para “crustáceos” novatos.

 
Primeiro, duas linhas são marcadas no chão a uma distância de 4,5 a 6 metros uma da outra; são estas as linhas de largada e de virada. (A corrida pode ser mais longa para crianças mais velhas, mas não muito, pois não é muito fácil andar como caranguejo.) Os participantes são divididos em duas ou mais equipes iguais de quatro ou cinco jogadores.

 
Quando um adulto que supervisiona a corrida gritar “Um, dois, três e já!”, o primeiro jogador de cada equipe avança para a linha de virada correndo como um caranguejo – para os lados. Cada caranguejo corre para a linha de virada e depois retorna para a linha de largada. Depois de cruzar a linha de largada, o próximo jogador desta equipe pode largar. Cada participante, por sua vez, faz o percurso. A primeira equipe em que todos os caranguejos rastejantes completarem o percurso é a vencedora.

 
 
Fonte: O Grande Livro dos Jogos e Brincadeiras Infantis – Debra Wise
Ilustração: Sandy Forrest

Jogos e Brincadeiras – Estou Vendo uma Coisa

Este clássico jogo de adivinhação é um bom treinamento para futuros detetives.

 
Jogadores: a partir de 3
Idade: 3 a 10 anos
Local: qualquer lugar
Equipamento: nenhum

 
Muitas gerações de crianças brincaram e se divertiram com Estou Vendo uma Coisa. O jogo é muito gostoso, pois tem poucas regras e pode ser realizado quase em qualquer lugar – na realidade, é um jogo que promove uma maravilhosa viagem. É também educativo para crianças de pouca idade, em processo de aprendizagem, para identificarem objetos pela cor e letras iniciais.

 
Para começar o jogo, um participante, que é o líder, escolhe um objeto que esteja à vista de todos e diz: “Eu vejo, com meus olhinhos, uma coisa de cor __”. O espaço em branco é preenchido com o nome de uma cor. Por exemplo, se o objeto for uma planta doméstica, o jogador dirá: “Eu vejo, com meus olhinhos, uma coisa que é verde!”.

 
Os outros jogadores tentam então adivinhar o objeto. Um a um, em sua vez, os jogadores dizem o nome de alguma coisa verde até que o mistério seja solucionado. Quem acertar a adivinhação é o vencedor e escolhe o próximo objeto. Para prolongar mais a adivinhação do objeto, é melhor escolher algo de cor bem comum, pois se for algo visível e destacado será muito fácil.

 
Estou Vendo uma Coisa – Alfabeto

 
Nesta versão de Estou Vendo uma Coisa, adequada para crianças um pouco mais velhas (5 a 10 anos), a dica é a primeira letra do nome, e não a cor, o objeto. Por exemplo, se for um carneiro, o participante dirá: “Eu vejo uma coisa, com meus olhinhos, que começa com a letra C”. Para que o jogo fique mais competitivo, é atribuída uma letra do alfabeto a cada jogador, e o líder seleciona um objeto que comece com essa letra. O objeto é então identificado por sua cor: “Estou vendo uma coisa, com meus olhinhos, que é de cor azul”. Se o jogador for a letra A, as adivinhações podem ser: avião, asa, anjo, etc.

 
Durante uma viagem, é um ótimo passatempo usar no jogo todas as letras do alfabeto.

 
Fonte: O Grande Livro dos Jogos e Brincadeiras Infantis – Debra Wise
Ilustração: Sandy Forrest

Jogos e Brincadeiras – Cinco Pedrinhas

– ou Cinco Marias

 

 
Neste antigo jogo de habilidade, o desafio é lançar e apanhar moedas.

 
Jogadores: 1 ou mais
Idades: a partir de 8 anos
Local: na calçada, ao ar livre ou no piso dentro de casa (longe de objetos quebráveis)
Equipamento: 5 pedrinhas redondas, dados, peças de Jogo das Pedrinhas ou cubos apropriados ao jogo de Cinco Pedrinhas – ou Cinco Marias

 
Cinco Pedrinhas, ou Cinco Marias, era originalmente chamado de Ossinhos, pois jogava-se com ossos de ovelha. O jogo é um predecessor do Jogo das Pedrinhas e tem sido jogado em muitas partes do mundo há mais de dois mil anos. Requer concentração e boa coordenação entre mão e olho, o que o torna excelente para crianças a partir de 8 anos. Elas gostam muito do desafio e da variedade oferecida por este jogo.

 
Apesar de Cinco Pedrinhas ser uma entretenida atividade individual, é mais emocionante competir com outros jogadores. Para começar, um jogador abaixa-se com as cinco pedrinhas redondas (dados, pedrinhas ou cubos de Cinco Pedrinhas também podem ser usados) na palma da mão. Seu objetivo é fazer cinco manobras complexas com as pedras – envolvendo lançar e apanhá-las do chão – sucessivamente. Se não conseguir fazer uma dessas manobras, sua jogada termina imediatamente e o próximo jogador começa a jogar. Na próxima vez, o primeiro jogador apanha a pedrinha onde ela caia.

 
O lance da primeira das Cinco Pedrinhas – chamado “Uns” – é assim: de cima da palma aberta, todas as pedrinhas são jogadas para o alto (veja diagrama). Enquanto estão no ar, o jogador vira a palma da mão para cima e tenta pegá-las com o dorso da mão. Então, inverte o truque, lançando as pedrinhas do dorso e pegando-as com a palma da sua mão.

 
Se o jogador conseguir pegar todas as pedrinhas, imediatamente continua a manobra. Se as cinco pedrinhas caírem no chão, acaba sua vez. No entanto, se quatro ou menos pedrinhas caírem no chão no final do lance básico, a vez continua. Quando as pedrinhas estão caídas no chão, o jogador transfere todas, menos uma, das pedrinhas apanhadas para a mão que não faz lances. Então, lança a única pedrinha e tenta pegar uma das pedrinhas do chão com a mão do lance. Esta ação é repetida até que todas as pedrinhas tenham sido apanhadas.

 
No segundo lance – “Dois”, as pedrinhas são espalhadas no chão. Uma só pedrinha é apanhada e lançada no ar. Enquanto esta pedrinha estiver no ar, o jogador deve pegar duas pedrinhas do chão e depois apanhar a pedra lançada com a mesma mão. Depois de transferir as duas pedrinhas para a mão que não fez o lance, a ação é repetida para recuperar as duas outras pedrinhas.

 
O terceiro lance – “Três”- é efeturado como o lance em Dois, só que uma única pedra é apanhada quando, primeiro, apenas uma pedrinha está no ar, mas três são apanhadas na segunda vez.

 
O quarto e ultimo lance – “Quatro”- é jogado como em Dois e Três, mas desta vez, quando uma única pedrinha for lançada no ar, as quatro restantes são apanhadas de uma só vez.

 
Conforme prossegue o jogo, em geral os jogadores têm que tentar várias vezes antes de conseguir ter êxito em algum lance. O primeiro jogador que completar cada lance até os “Quatro” será o vencedor.

 
Fonte: O Grande Livro dos Jogos e Brincadeiras Infantis – Debra Wise
Ilustração: Sandy Forrest

Jogos e Brincadeiras – Carrinho de Mão

Nesta divertida corrida, os “carrinhos de mão” humanos são empurrados em direção à linha de chegada.

 

 
Jogadores: 4 ou mais (número par), além de um adulto para supervisionar
Idade: 8 a 12 anos
Local: ao ar livre, em gramado ou areia
Equipamento: pedras ou palitos para marcar as linhas

 
Carrinho de Mão é uma corrida clássica, típica de piqueniques, que deve ser realizada em superfície macia para evitar ferimentos. O trabalho em equipe é a prioridade máxima nesta corrida, pois os parceiros esforçam-se para dirigir seus carrinhos de mão humanos o mais depressa possível. Depois deste jogo, certamente as crianças ficarão com as mãos sujas. É uma boa ideia ter água e sabão por perto.

 
Carrinho de Mão pode ser realizada como corrida individual ou com revezamento. De qualquer forma, cada jogador deve ter um parceiro. As linhas de largada e chegada são marcadas com uma distância aproximada de 9 metros entre elas. As duplas ficam em fila ao longo da linha de largada. No caso de corrida de revezamento, os jogadores dividem-se em duas ou mais equipes iguais, cujos membros formam uma fila dupla atrás da linha de largada. Em seguida, as duplas (ou as primeiras duplas das equipes) aprontam-se, adotando a posição de carrinho de mão – um jogador abaixa-se, apoiando nas mãos e joelhos (ou com o rosto encostado no chão) e o outro fica atrás.

 
Quando todos estão a postos, o adulto que supervisiona a corrida grita “Um, dois, três e já!”: e o jogador em pé, de cada dupla, pega as pernas do parceiro, segura-as pelos tornozelos, levantando-as à altura de seu peito. O “condutor” dá continuidade, empurrando o “carrinho de mão” na direção da linha de chegada, sempre segurando-o. Quedas e acidentes de percurso são inevitáveis, e os carrinhos de mão “quebrados” têm de ser levantados do lugar onde caíram.

 
Na corrida de revezamento, as duplas vão até o limite mais distante e depois trocam de papéis, quando então voltam para o início e tocam a próxima dupla em fila, ao cruzarem a linha de largada. O jogo tem continuidade dessa forma até que as duplas completem a corrida.

 
A primeira dupla a cruzar a linha de chegada, ou a primeira equipe em que todas as suas duplas completarem o percurso, é a vencedora.

 
Fonte: O Grande Livro dos Jogos e Brincadeiras Infantis – Debra Wise
Ilustração: Sandy Forrest

Eu ♥ cores!

Se quando criança você ficava fascinada com as cores dos lápis formando um arco-íris gigante, adora o colorido de uma paleta de maquiagem e pode passar o tempo tranquilamente admirando as tonalidades de um catálogo de tinta, este post é para você.
Alguns links interessantes garimpados na rede com o tema cores. ;}

 

http://www.colourlovers.com/
Uma comunidade para os amantes das cores onde é possível criar paletas e pardronagens e compartilhá-las, além de ter acesso a conteúdo sobre tendências, artigos e trocar ideias e conhecimentos.

 
 

http://design-seeds.com/
Um maravilhoso passeio por paletas de cores inspiradas na natureza, lindo!

 
 

http://www.color-inspirator.com/
Escolha aleatória de 1 a 6 cores.

 
 

http://yupnet.org/interactionofcolor/
Um dos principais livros sobre teoria das cores do mundo é Interaction of Color, de Josef Albers foi publicado em 1963. Para comemorar os 50 anos do livro, a Yale University Press em parceria com a Potion relançou o título em uma edição modernizada, como aplicativo para iPad.

Assista ao trailer de apresentação do app:
http://www.youtube.com/watch?v=O_yq2lplgkk

Listas!

Quando temos muitas tarefas a cumprir, fazer uma lista é uma ótima forma de liberar a mente da preocupação de lembrar ou ficar pensando nas atividades que teremos pela frente. Passar para o papel – ou tela – é uma das estratégias mais eficientes para organizar a rotina. Mas algumas dicas são importantes para não afundar em listas gigantescas ou fazê-las em tantos lugares diferentes que não sabemos onde estão as notas quando precisamos delas.

 
Blocos, cadernetas e cadernos são ótimos aliados dos analógicos e nostálgicos de plantão. o/
Não dependem de bateria e podem ser guardados para a posteridade como recordação.

 

 
E ainda podem ser personalizados na Fabee Store! Capa dura, escolha a ilustração, moldura, cores, textos e tenha um caderno exclusivo!

 

 
Para os digitais há vários aplicativos diferentes e o ideal é testar até encontrar o seu preferido. Abaixo algumas opções charmosas e eficientes para ajudar na organização das tarefas diárias.

 

 
Evernote, um dos aplicativos mais populares, disponível para todas as plataformas, inclusive desktop, ideal para ter notas, links, fotos sincronizadas e acessíveis em qualquer dispositivo.

 
Do It (Tomorrow). App disponível para iOS e Android ao melhor estilo moleskine, simples, prático, charmoso e funcional.

 

 
E a versão digital oficial do Moleskine, não tão simples e prático mas também muito charmosa e com funções extras como capacidade de marcar textos e desenhar ou escrever à mão livre. Além de iOS e Android, também disponível para Windows Phone

 

 
 
E você? Como planeja e lista seus compromissos? Conte nos comentários!

Método 5S para organizar a casa – Shitsuke

Parabéns! Você chegou até aqui, último dos 5S do método japonês de organização.
 
Primeira parte aqui, segunda aqui, terceira e quarta.
 
Agora é hora do Shitsuke que clama por manter a ordem obtida. Para isso precisamos usar dos outros 5S no dia-a-dia. Por exemplo, descarte no momento o que não será usado. Organize a casa no seu cotidiano e o mais importante de tudo, adote uma rotina de arrumação, assim não acumulamos o trabalho e fica mais fácil manter a casa limpa e ordenada.
 

 
Cada um tem necessidades específicas no ambiente em que vive, crie sua metodologia e monte sua rotina de acordo com as suas.
 
Como é da natureza dos japoneses serem profundos em suas atividades, vale salientar que a disciplina deste 5º S não limita-se ao ambiente e estende-se ao caráter da pessoa que deve ser honrada, ter boa educação e bons hábitos.