Congelamos a Pizza Party da Jojó

O aniversario de 8 anos da minha filha Georgia, a Jojó, não poderia ter sido melhor este ano!

Foi com uma decoração toda inspirada no filme Frozen que ela recebeu os convidados da festa neste sábado, 15 de novembro. A mesa teve direito a neve artificial e cupcakes nevados com red velvet! Dá só uma olhada em como ficou!

 

Mas a festa só ficou completa com a presença dos personagens mais queridos da garotada. E é claro que o Olaf, a Elsa e a Ana marcaram presença na hora do parabéns! 🙂

 

A Jojó e os convidados colocaram a mão na massa literalmente e fizeram as próprias pizzas durante a festa! Huuum! Ficaram uma delícia.

Nas fotos estão as crianças com a mão na massa e eu com as minhas princesas.

Para que a festinha ficasse completa, pensamos em algumas lembrancinhas especiais para todos os convidados. As meninas levaram para casa um caderno de receitas da Elsa e da Ana, enquanto os meninos puderam aproveitar um caderno de jogos do Olaf.

 

Toda a decoração e lembrancinha foi feita pela FabeeStore. Nós desenvolvemos festas personalizadas em qualquer tema. Espero que tenham gostado da Festa Frozen da Geórgia.

Detalhes fazem a diferença… Fiquei muito feliz com o resultado!!  Em cima do bolo, fizemos as personagens em acrílico.

Beijos e boa semana.

Fabi

 

Como organizar um chá de bebê

 

A família ficou em festa quando você deu a notícia de que um novo membro estava a caminho! Logo você se envolveu com os preparativos do pré-natal, descobriu o sexo de seu bebê e vibrou organizando cada detalhe do quartinho dele. Só esqueceu de uma coisa: organizar o chá de bebê.

O evento, que antes costumava ser restrito às mulheres, já ganhou sua versão moderninha: com maridos e namorados incluídos na festa e até alguns drinks para os convidados, mesmo que a futura mamãe não possa beber.

Mas não importa se você irá fazer um chá de bebê só para íntimos ou prefere convidar muitos amigos e a família inteira para participar. Alguns detalhes são sempre os mesmos.

Local e data

Essa é a primeira coisa que deve ser levada em consideração. Se você tem uma casa grande onde poderá realizar a festa, o maior problema já está resolvido. Se não, procure organizar o chá na casa de um parente próximo ou reservar um salão de festas pequeno para isso. Tente marcar o chá de bebê para os últimos meses da gravidez, tomando cuidado para que ele ocorra antes da 37ª semana – assim você não corre o risco de o bebê chegar antes (ou no meio) do chá.

Avisando os convidados

Na hora de chamar os convidados, você pode optar por enviar convites impressos ou fazer tudo online, organizando um evento nas redes sociais. Caso opte pela segunda opção, não esqueça de avisar aos menos conectados sobre o evento também por telefone. Assim você não corre o risco de que alguém deixe de comparecer ao chá de bebê simplesmente porque não viu o evento no Facebook.

Escolhendo os presentes

Muitas pessoas preferem organizar uma listinha com todos os presentes que gostariam de ganhar durante o chá de bebê e deixá-la em alguma loja de fácil acesso aos convidados. Quem já possui outros filhos ou já comprou tudo que precisava durante a gestação, pode optar também por pedir aos convidados fraldas de diferentes tamanhos como presente. Assim você evita ganhar milhares de coisas repetidas. Uma terceira opção é criar a lista de presentes, mas divulgá-la apenas aos que perguntarem o que presentear, o que dá mais liberdade aos convidados.

Brincadeiras

Pode parecer bobagem, mas as brincadeiras são uma grande parte da diversão do chá de bebê – até mesmo para as futuras mamães. Se o chá incluir também a presença de maridos e namorados, vocês dois podem dividir o mico na brincadeira de adivinhar os presentes. A cada erro, um convidado pinta um dos pais – o que pode até virar uma competição para ver qual dos dois foi menos pintado no final da festa!

E então, pronta para organizar a sua?

Beijos,

Fabi

Como fazer comidas saudáveis e divertidas para seus filhos

Parece até que você já viu esse filme antes: seus filhos não querem saber de comer frutas e vegetais de jeito nenhum. Não adianta aviãozinho nem promessas de uma vida mais saudável. Eles não gostam e pronto.

Mas, sejamos sinceros, a salada realmente pode não ter tanta graça quando colocada no prato sozinha, não acha? Então que tal experimentar novas formas de apresentar pratos super saudáveis e gostosos para seus filhos? Se eles gostarem da aparência, já é o primeiro passo para gostarem também do sabor. É aquela velha história de que comemos também com os olhos – e as crianças não são diferentes nisso! 😉

3 ideias de comidas saudáveis e muito divertidas

 

1 – Arco-íris de frutas

Se as frutas não são o forte do seu filho, pode ter certeza de que ele irá reconsiderar a escolha depois desta receita.

Separe frutas de diversas cores para compor um arco-íris no prato dos pequenos: laranja, goiaba, abacaxi, kiwi e uva roxa, por exemplo. Corte as frutas em quadradinhos e disponha-as em formato de arco-íris. Para dar um toque especial, crie nuvens de chantilly nas extremidades.

2 – A salada do Super Mario

Seu filho pode até não comer salada, mas certamente vai aprovar a salada do Super Mario, feita com cogumelos poderosos – ou quase isso.

Para montar esse prato você vai precisar de salada de folhas verdes, tomates, ovos de codorna, cenoura e requeijão. Disponha as folhas como se fossem a grama e corte o ovo de codorna para servir como base para o “cogumelo”, que ficará completo com um pedacinho de tomate na ponta. As bolinhas podem ser feitas com um pouco de requeijão. Para completar, molde borboletas ou flores na cenoura com a ajuda de uma faca especial.

3 – Salada de pavão

Uma salada completa para seus filhos, mas com formato de pavão. E o melhor: muito simples de fazer. Você só vai precisar de ketchup, lentilha, milho, cenoura ralada, rabanete em rodelas, azeitonas sem caroço e um pouco de habilidade para desenhar.

Use o ketchup para moldar o pavão. Com os outros elementos você poderá preencher o desenho, deixando-o mais colorido e ainda mais saudável. Use o milho para compor o corpo, as lentilhas nas asas e a cenoura para toda a extensão do rabo. O toque especial fica por conta do rabanete junto com as azeitonas, formando lindas bolinhas na cauda do animal.

Gostou das dicas? Que tal adaptar estas ideias e criar mais algumas receitas? Não deixe de compartilhar com a gente as suas criações! 😉

Estas e outras receitas:

http://delas.ig.com.br/filhos/2012-04-26/passo-a-passo-arcoiris-de-frutas.html

http://mdemulher.abril.com.br/familia/fotos/filhos/receitas-criancas-mais-10-opcoes-receitas-saudaveis-deliciosas-618602.shtml#3

http://www.ideiasereceitas.com/26-ideias-de-comidas-divertidas-para-a-criancada/

Boa semana!
Beijos,
Fabi

 

Seu filho quer um bichinho de estimação. E agora?

É quase inevitável: uma hora ou outra as crianças aparecem querendo ter um bichinho de estimação. Nesse momento, é importante pensar muito bem antes de ceder aos apelos dos seus filhos, já que um animal em casa irá requerer muitos cuidados – e a possibilidade de que estes cuidados recaiam sobre os pais é enorme. Pese muito bem o impacto que isso terá na vida do restante da família. Vocês estão preparados para ganhar um filho de quatro patas?

Os benefícios para as crianças

As crianças podem se beneficiar muito do convívio com animais domésticos. Os bebês podem exercitar a coordenação motora acariciando o animal ou mesmo imitá-lo, engatinhando atrás dele. Crianças um pouco maiores podem ainda desenvolver mais responsabilidade através de sua relação com os bichinhos, já que precisarão aprender a cuidá-los.

E este é um ponto muito importante: para que as crianças sejam capazes de tirar o melhor do convívio com os animais, os pais devem pedir ajuda com os principais cuidados com o bichinho. Por volta dos quatro anos, as crianças já são capazes de trocar a comida e a água dos animais, por exemplo. Crianças um pouco maiores também podem levar o cachorro para passear ou até limpar a sujeira feita por eles.

Qual animal escolher?

Quem mora em apartamento ou casa sem pátio deverá optar por animais menores, como gatos ou raças pequenas de cães. Por serem animais muito frágeis, é melhor evitar adquirir coelhos, hamsters ou outros bichinhos menos convencionais para as crianças, já que eles costumam precisar de cuidados muito específicos. Quem mora em casa terá um pouco mais de liberdade, podendo optar ainda por raças maiores de cães ou mesmo adotar um vira-lata.

Para famílias que passam muito tempo fora de casa, a dica é preferir gatos, já que estes animais exigem menos atenção e são capazes de passar grandes períodos do dia sem companhia.

Como dizer não?

Muitas vezes, incluir um animalzinho na rotina da família pode ser complicado. Nesse caso, é importante explicar para a criança o porquê de não ser o momento ideal para ter um bichinho. Pode ser porque a sua casa é pequena demais, pelos custos envolvidos ou mesmo por alguém na família ser alérgico a pelos.

A infância é o momento em que precisamos aprender nossos limites e, caso não seja a hora certa para a família ganhar um membro de quatro patas, as crianças podem até demorar um pouco para assimilar a ideia, mas serão capazes de entender isso.

Beijos,

Fabi