10 razões para você deixar seu filho brincar

 

Com certeza entre as melhores lembranças da infância, brincar é uma delas! Mas será que você sabe a real importância da brincadeira no crescimento e desenvolvimento do seu filho? Hoje reunimos 10 razões para você deixar seu filho brincar e curtir a melhor parte da infância: a liberdade de poder criar.

 

1. É brincando que seu filho vai aprender a se conhecer e também conhecer o mundo ao redor de si. E brincando seu filho vai criar sua identidade e formação cultural e social.

 

2. Brincando seu filho vai exercer sua capacidade de interação com outras crianças, desta forma aprende a respeitar limites e aprende a lidar com as adversidades.

 

3. Durante a brincadeira seu filho terá contato com normas e regras sociais, desta forma conhecerá e entenderá determinados valores culturais.

 

4. É brincando que seu filho vai conseguir expressar e começar a conhecer suas emoções e sentimentos.

 

5. Através da brincadeira a habilidade oral também começa a se desenvolver de forma mais rápida e eficaz.

 

6. A brincadeira estimula a imaginação, interação, desenvolvimento motor e psíquico, observação e muito mais.

 

7. Seu filho também aprenderá a resolver situações de conflitos durante o ato de brincar.

 

8. Brincando seu filho vai desenvolver aspectos físico, emocional, psicológico e cognitivo.

 

9. Auto estima e auto confiança são duas características de crianças que brincam.

 

10. Ser uma criança feliz tornará seu filho um adulto feliz, auto-capaz e desenvolvido.

 

Viu só o tamanho da importância do brincar para o seu filho? É sempre importante lembrar que atividades extra curriculares são sim importantes, mas que deixar seu filho ser uma criança livre e feliz também é.

 

Sem contar no fortalecimento da relação pai e filho que a brincadeira traz: pais que brincam com seus filhos estabelecem uma relação de carinho, alegria e confiança.

 

 

Dicas para acompanhar o desempenho escolar do seu filho

Construir um vínculo com a escola desde cedo e traçar paralelos entre o conteúdo e a vida fora do colégio fazem muita diferença no desempenho escolar do seu pequeno! Além dos cadernos e boletins, os pais devem estar envolvidos com a vida escolar dos filhos desde o começo. Confira algumas dicas para ajudar as crianças a aproveitarem a escola ao máximo.

 

1. Não deixe para ir à escola somente quando aparece um problema

Ir à escola somente quando você é convocado para resolver algum problema da criança não vai fazer tanta diferença. A psicóloga Eliana Tatit Sapienza, especializada na área educacional, indica aos pais manter uma parceria com a escola e os professores, frequentando reuniões e se informando sobre o conteúdo desenvolvido em cada matéria. As crianças, especialmente as mais novas, se sentem mais seguras e confiantes quando percebem essa ligação entre pais e professores.

 

2. Crie um vínculo de comunicação

Perguntar sempre como foi o dia de aula, o que os filhos aprenderam e se passaram por alguma dificuldade são algumas das questões iniciais para estabelecer o vínculo com as crianças sobre o assunto. Não é para conversar na base da pressão, mas com amizade e afeto. Esse tipo de atitude fará com a criança se sinta, desde os primeiros dias na escola, à vontade para contar o que ela fez no dia, do que gostou e do que não gostou. Assim, se a conversa for mantida ao longo dos anos, os pais saberão se o filho é bom em português, mas tem dificuldades com a matemática, por exemplo.

 

3. Acompanhe os deveres de casa

Às vezes os pais trabalham tanto que sobra pouco tempo para observar os deveres de perto, mas é importante que um dos dois realize esta função. Acompanhar o que a criança está aprendendo na escola aumenta a motivação e relacionar aquele conhecimento a uma lembrança real pode tornar o conteúdo ainda mais significativo – ao ver as lições sobre as vegetações típicas do país, por exemplo, vale relembrar aquela viagem feita ao cerrado ou a excursão das férias pelas trilhas e praias da Mata Atlântica.

 

4. Estabeleça uma rotina

A criança deve perceber que é muito mais proveitoso estudar um pouco por dia do que deixar para estudar na última hora, na véspera de uma prova. Estudar uma hora por dia está de bom tamanho. Conforme o número de matérias vai avançando, a duração deste período também deve aumentar. Se a criança ainda está no primeiro ciclo do Ensino Fundamental, o brincar ainda pode ter um espaço maior no dia a dia dela. Os períodos de estudo devem ir crescendo a partir do segundo ciclo.

 

5. Organize um espaço para os estudos
Este espaço deve ser aproveitado, de preferência, em um horário fixo e nobre do dia. Um lugar tranquilo, iluminado, limpo e organizado para o momento, onde nada possa tirar a concentração da criança. Televisão, videogame ou o irmãozinho mais novo fazendo bagunça devem ficar longe. Materiais de consulta, como livros e acesso supervisionado à internet, ficam perto.

 

6. Leia com prazer
Se dentro de casa a leitura é estimulada e encarada como um momento de lazer e prazer, será mais fácil para as crianças se adaptarem ao mundo dos estudos. Os pais devem conversar com os filhos sobre o livro, revista ou jornal que estiverem lendo, além de deixar livros ao alcance das crianças. Deixar bilhetes e cartinhas aos pequenos também é benéfico. Até mesmo fazer a lista de compras do supermercado ao lado do filho menor pode ser um estímulo.

 

7. Ajude seu filho a descobrir a fórmula ideal de estudo
Todos temos modalidades diferentes para aprender. Umas são mais produtivas do que outras. Algumas crianças são mais visuais e estudam sublinhando livros e fazendo resumos. Outras podem ser mais auditivas e preferem repetir o conteúdo em voz alta para si mesmas. Os pais precisam estimular todas as modalidades, para ver qual é melhor para aquela criança, e tomar cuidado para não inibi-las.

 

10. Não espere seu filho virar adolescente para participar da educação dele

Uma família que sempre participou e esteve junto com as crianças durante as lições e provas dificilmente terá um adolescente que não se esforça nos estudos. Nesta fase, os pais precisam tomar cuidado para não pressionar os filhos ou serem invasivos. E isso só é possível se houver uma relação sólida construída. As famílias que não levam a educação infantil e o primeiro ciclo do ensino fundamental com a devida importância e, consequentemente, não passam com a criança pelas primeiras dificuldades, não terão jeito de opinar quando o filho fizer 15 anos, já que as dificuldades se acumularam ao longo do processo educacional.

 

Dica da Fabee Store: Quer incentivar mais ainda a dedicação do pequeno na escola? Que tal personalizar todos os materiais dele com etiquetas coloridas e personalizadas com o personagem que ele mais gosta? No site da Fabee Store você encontra várias opções! Dá uma olhada aqui! 

 

Dica da Fabee Store [2]: Dia dos professores chegando, que tal homenageá-los com um presente exclusivo e personalizado? A Fabee Store preparou canecas, bloco de notas, cadernos, mouse pad e adesivos especiais para essa data! Confira aqui!

 

10 dicas de comidinhas para um picnic infantil!

O inverno já está se despedindo, e logo logo chega a primavera com dias bonitos e agradáveis, perfeitos para um picnic! A turminha adora esse tipo programa, e é uma prática muito saudável também! Contato com a natureza, comidinhas leves e muita diversão. Na hora de pensar o cardápio do picnic é importante lembrar que quanto mais prático melhor, prefira comidas que não precisem o uso de talheres – no máximo um garfo! Um picnic pede receitinhas fáceis de preparar e de levar.

 

Confira nossas 10 dicas de comidas e bebidas para um picnic infantil!

 

1. Não levar: Nunca leve produtos que se estragam com facilidade como cremes tipo maionese, com ovo cru na sua composição, peixes, carnes cruas e bolos com cremes, principalmente se o piquenique durar um dia inteiro, afim de evitar intoxicações alimentares;

2. Variedade: O ideal é apostar em receitas que agradam a todos os gostos! Escolha comidas variadas (de 3 a 4 tipos) para que haja escolha;

3. Um para cada um: De preferência prepare sempre porções individuais, isso facilita o manuseio dos lanchinhos e ajuda na hora da limpeza também;

4. Sem talher: Leve aperitivos fáceis de comer com a mão, como azeitonas, frutas secas, castanhas;

5. Os bolos: Bolos simples (fubá, chocolate, formigueiro, cenoura) embalados em pedaços ou bolinhos individuais (muffins e cupcakes) são ideais;

6. Tudo montadinho: Sanduíches e quiches são uma ótima pedida, pois são práticos de transportar e de servir. O melhor é levar os sanduíches já montados;

7. Bem prático: Biscoitos variados e salgados assados também caem super bem na cesta do picnic;

8. Sobre as frutas: As frutas frescas devem ser levadas preferencialmente inteiras, pois dessa forma resistem mais tempo às altas temperaturas. Escolha as frutas da estação, que estejam maduras e sejam fáceis de descascar como maçã e banana! Frutas pequenas e que não precisam ser descascadas, como morangos, uvas e ameixas são ideais;

9. Bebidinhas: Prepare uma ou duas opções de suco natural e leve em garrafas térmicas com gelo. Dê preferência a frutas mais doces, como melão e melancia. Água de coco e chás gelados também são boas ideias para manter a criançada hidratada nos dias de calor;

10. Para conservar: Para conservar melhor e manter as bebidas frescas opte por bolsas térmicas ou isopores. Uma ótima dica é colocar garrafas plásticas com água congelada dentro das bolsas térmicas pois além de ajudar a conservar os alimentos depois de descongeladas servem para matar a sede;

 

Dica da Fabee Store: A Fabee Store tem um monte de acessórios personalizados que ajudam na hora do lanche: Squeeze personalizado, toalhinha de mão personalizada, caneca personalizada, jogo americano personalizado e cardápio semanal! Tudo feito com os nossos personagens e o nome do seu pequeno! Confira aqui!

 

8 cuidados que previnem crises de alergia em crianças

 

É fácil saber se o seu filho tem predisposição genética a alergias: basta olhar o histórico familiar. Quando um dos pais tem uma alergia, o risco de o filho também ter algum tipo é quatro vezes maior. Se o casal tiver o problema, o risco para a criança passa a ser sete vezes maior. Mas isso não quer dizer que ele terá alguma crise logo nos primeiros meses de vida. Normalmente, os primeiros acessos de alergia ocorrem antes dos dez anos de idade, mas podem aparecer até na fase adulta. Existe uma lista de hábitos capazes de retardar ou até evitar o desenvolvimento de quadros alérgicos e vamos explicar cada um deles para você.

 

1. Amamentação exclusiva até os seis meses de vida

Essa recomendação é unânime entre os especialistas: a amamentação fornece anticorpos e nutrientes que aumentam a proteção do bebê contra alergias. Leite de vaca ou qualquer outro alimento não tem tantos benefícios assim. Mas não se engane: é comum parecer que o bebê tem mais refluxo quando amamentado e a mãe pode achar que isso é sinal de alergia ou intolerância. O leite materno tem digestão mais fácil e também provoca mais casos de regurgitação, mas isso não é um problema para o bebê.

 

2. Animais de estimação

Há alguns estudos indicando que a criança que tem contato com bicho de estimação desde pequena pode ficar mais resistente a alergias. Mas a recomendação é evitar que os animais com pelos e penas fiquem dentro do quarto da criança, principalmente na hora de dormir. Fique atento também se a criança costuma espirrar, coçar os olhos ou ter outros sintomas de alergia quando brinca com o bicho.

 

3. Acompanhamento pediátrico

Levar o filho ao médico somente quando ele está doente não é a melhor forma de prevenir alergias. A consulta regular ajuda a promover o bem-estar da criança e a manter a saúde, evitando doenças. O pediatra também ajuda a mãe a perceber sintomas de alergias na criança. Por isso, o bebê deve ser levado ao médico uma vez por mês até chegar aos seis meses de vida. Depois dessa fase, a consulta pode ser mais espaçada, de acordo com a orientação do especialista.

 

4. De olho na pele

Em boa parte das crianças com até cinco anos de idade, a dermatite atópica (alergia na pele) é o primeiro sintoma de alergia. Se o seu filho tem predisposição genética, vale ter o cuidado dobrado de comprar shampoo, sabonetes e outros cosméticos neutros e hipoalérgicos, para não deixar a pele irritada e mais sensível. Meninas que brincam com maquiagem precisam usar produtos feitos especialmente para crianças, de preferência com aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

 

5. Alimentação adequada

Vitaminas, minerais e outros nutrientes devem fazer parte do prato da criança para deixá-la sempre com as defesas do organismo prontas para combater agentes do ambiente que causem alergias. Inclua no cardápio frutas, legumes, verduras, peixe e castanhas. Um estudo da University of Gothenburg, na Suécia, indicou que crianças que começam a comer peixe a partir dos nove meses de idade são menos propensas a sofrer com a respiração ofegante na idade pré-escolar, complicação relacionada à asma.

 

6. De olho no estresse

Tanto a rotina estressante quanto episódios trágicos que possam causar muita tristeza na criança podem deixar o corpo mais vulnerável a alergias. A criança pode desencadear um quadro alérgico, por exemplo, depois da separação dos pais. Procure conversar sempre com seu filho e prestar atenção no seu comportamento. Se achar necessário, busque a ajuda de um psicólogo.

 

7. Crie um “quarto hipoalérgico”

Para evitar rinite alérgica, elimine os focos de mofo e os objetos que acumulam ácaro, poeira e outros alérgenos, como cortinas de tecido, almofadas, tapetes peludos e bichos de pelúcia. Segundo os especialistas, se esses itens estiverem presentes no quarto, é preciso manter o cuidado de limpá-los sempre e deixá-los no sol algumas vezes. As janelas precisam ser abertas todos os dias a fim de deixar o ambiente ventilado. Para evitar irritações na mucosa nasal por causa do cheiro forte de produtos de limpeza, mantenha a criança fora do quarto até uma hora após a limpeza.

 

8. Incentive o seu filho a fazer natação

A natação é uma ótima atividade para fortalecer os músculos e aumentar a resistência do sistema respiratório e cardiovascular, ajudando a prevenir asma e outras alergias respiratórias. Mas prefira piscinas de água aquecida e com sal, pois a temperatura fria e o cloro podem agravar crises alérgicas em longo prazo. Se nadar não for o hábito predileto do seu filho, incentive outra atividade física que ele goste – todo exercício traz benefícios ao aparelho cardiorrespiratório da criança.

 

Dica da Fabee!

Seu filho tem alergias alimentares? Então dá uma olhadinha nesse post especial do nosso blog que falamos especificamente sobre esse assunto! Tem muita dica bacana aí! 😉

 

 

5 dicas de leitura para as crianças

Pesquisas do mundo todo mostram que a criança que lê e tem contato com a literatura desde cedo, principalmente se for com o acompanhamento dos pais, é beneficiada em diversos sentidos: ela aprende melhor, pronuncia melhor as palavras e se comunica melhor de forma geral. Por meio da leitura, a criança desenvolve a criatividade, a imaginação e adquire cultura, conhecimentos e valores.

 

As crianças aprendem pelo exemplo, se você quer que seu filho tome gosto pela leitura você precisa fazer duas coisas:

1. Desenvolver você mesmo o hábito de ler, e deixar que seus filhos o vejam.

2. Ler para seus filhos todos os dias, arrume um tempinho, nem que sejam 5 minutos, isso fará grande diferença na vida deles.

 

A lista de livros interessantes para crianças é vasta, mas existem alguns que são especiais e de tempos em tempos até lemos de novo! Separamos 5 dicas de leituras apaixonantes para você fazer com seus filhos:

 

Marcelo, Marmelo, martelo (Ruth Rocha)

Esse eu aposto que até você já leu na infância! Ele traz 3 histórias bem legais, as crianças adoram porque se identificam com a curiosidade peculiar das crianças.

 

Cospe fogo o Dragão (Luciene Regina Paulino Tognetta)

Este livrinho é especial, traz uma lição bastante importante e ensina as crianças a controlarem suas emoções.

 

Adivinha quanto eu te amo (Sam McBratney)

Conta a história de um coelho pai e seu filho e ambos desejam mostrar um ao outro o tamanho do seu amor, mas aí eles percebem que o amor não é algo tão fácil de ser mensurado, uma linda história.

 

Chapeuzinho Amarelo (Chico Buarque)

Este livro é muito bom para ajudar as crianças a lidarem com os próprios medos, afinal todo mundo sente medo de algo em algum momento na vida, não é?

 

A natureza agredida pede para ser respeitada (Moreira de Acopiara)

É um livro em forma de poema de cordel, não é uma leitura tão fácil para crianças pequenas, mas vale a pena se os pais forem refletindo junto com a criança e explicando, trata da nossa fauna e flora que há muito vem perdendo sua diversidade.

 

Dica da Fabee Store: Seu filho costuma carregar os livros por aí? Para a escola, casa dos colegas e passeio? A nossa dica para evitar que o livro se perca é identificá-los com o nome do seu pequeno, assim se ele deixar na escola ou na casa de um amiguinho vai ser muito mais fácil ele retornar para a sua estante! A Fabee Store produz etiquetas em vinil personalizadas para te ajudar nessa missão! Confere aqui!