Alimentos, Remédios e Restrições: Quando Adesivos Personalizados Salvam Vidas

Etiquetas Adesivas Fabee StoreSeria exagero afirmar que o uso de Adesivos Personalizados pode salvar vidas? Talvez, mas de todo modo não seria incorreto. Afinal, pequenos gestos e iniciativas fazem a diferença no nosso dia-a-dia e vida dos nossos familiares. A Fabee Store explica melhor essa questão.

A Fabee Store é uma líder de mercado quando o assunto são Etiquetas e Adesivos Personalizados. A empresa é especializada no segmento e fornece uma grande variedade de produtos, que vai de etiquetas de vinil e etiquetas transfer até as etiquetas mais específicas, temáticas e em kits.

Algumas dessas categorias contempladas pela Fabee Store vão muito além do sentido organizacional e estético. Falamos das etiquetas e adesivos Personalizados para Alergia e Restrições Alimentares, para Remédios, caderno para anotar as Mamadas do seu bebê e, também, da Pulseira de Identificação.

Alergia e Restrições Alimentares

As alergias são respostas imunológicas que nosso corpo dá quando identifica substâncias ou ambientes que nos colocam em perigo. Podem ser alimentos específicos, nutrientes que compõem um alimento, pó, pelo de gato e/ou cachorro, medicamentos ou algum composto específico que faz parte de medicamentos.

Muitas vezes não existe tratamento, sendo que o mais importante é prevenir a sua ingestão. Por isso se faz tão importante para a saúde que evitemos o consumo dessas substâncias.

No entanto, quando essas alergias e restrições dizem respeito a crianças, a situação se torna mais frágil, já que longe dos pais e responsáveis os pequenos são vulneráveis, sem conhecimento sobre a própria saúde.

As etiquetas de vinil para restrição alimentar e alergias podem ser colocadas em lancheiras, embalagens, tupplewares ou mesmo na agenda do seu filho. Elas são perfeitas para deixar adultos como professores e cuidadores cientes sobre o que pode e não pode ser dado, além de serem à prova d’água.

Remédios

Com a questão dos remédios, a situação é muito similar. Crianças e adolescentes não têm ainda a responsabilidade suficiente para cuidarem da sua saúde. O que tomar, quando tomar, quanto tomar… são muitas as questões envolvidas sob um tema muito importante.

Por isso as etiquetas para remédios da Fabee trazem campos específicos para identificar os frascos de remédios, anotar a dose, período/horário e até a finalidade (febre, tosse, dor de garganta, etc.). Assim, os adultos responsáveis vão tirar de letra a saúde dos seus pequenos. É recomendado o uso de caneta esferográfica ou marcador permanente.

Mamadas

Quando bebês, nossos filhos nunca têm cuidados em excesso. Por isso vale a pena investir numa maneira de organizar as mamadas, com o tempo marcado, quanto tempo em cada seio, além da quantidade e mais detalhes sobre xixi e fezes da criança.

O Caderno de Mamadas Personalizado da Fabee vem em capa dura, fechamento em elástico e encadernação com wireo branco.

Pulseira de Identificação

À prova d’água, reutilizável, confeccionada em PVC e com fechamento de plástico rígido, a Pulseira de Identificação vai sanar suas dores de cabeça. Todo pai ou mãe sabe que um segundo de distração pode ser suficiente para viver um pesadelo perdendo o filho de vista.

Por isso a Pulseira de Identificação ganha tanta força. Disponível nas cores azul rosa, com pequenos desenhos de enfeite, ela traz espaço para nome e telefone da criança. E caso você precise utilizar com outro pequeno, basta passar álcool para reescrever novas informações.

Seu filho seguro e identificado em passeio, excursões ou mesmo junto de você!

Saiba mais sobre a Fabee

A Fabee Store tem o que você precisa quando o assunto é etiquetas e adesivos personalizados! Entre em contato com a Fabee e saiba mais sobre os seus produtos.

Confira!

Loja Online Fabee Store

Etiqueta de identificação: veja dicas de como utilizá-las!

 

Etiquetas da Fabee

As etiquetas de identificação podem ser extremamente úteis para uma série de aplicações, facilitando e influenciando muito na organização da rotina e das tarefas do dia a dia – especialmente para quem tem crianças em casa.

Confira abaixo algumas situações em que as etiquetas de identificação podem ser utilizadas. Confira!

Identificação de material escolar

Todos os anos nos deparamos com uma imensa lista de materiais que as crianças devem adquirir para o ano letivo. Se tiver mais de um filho, multiplique a quantidade de itens – e de trabalho – para identificar todos os objetos.

Nesse caso, a etiqueta de identificação pode ser uma solução rápida para essa tarefa, pois já estarão com o nome da criança e, dessa forma, basta colar nos materiais.

Não perca tempo escrevendo uma a uma! Personalize de forma prática e charmosa com as etiquetas para material escolar!

Etiquetas de identificação para uniforme

Colocar o nome das crianças nas peças do uniforme é imprescindível para evitar a troca com os coleguinhas ou até mesmo o extravio. Existem etiquetas personalizadas para uniforme fabricadas em vinil, um material muito resistente e que pode passar por diversas lavagens sem se deteriorar facilmente. Com aplicação simples, basta utilizar o ferro quente sobre a etiqueta e a peça.

Além disso, as etiquetas podem ser aplicadas em outras roupas fora do uniforme que as crianças levam a escola ou em viagens e passeios. Definitivamente, uma solução incrível para facilitar a vida de pais e cuidadores.

Adesivo para professor e incentivar crianças Fabee Store

Itens de alimentação

Copos, talheres, mamadeiras e até mesmo chupetas podem receber a etiqueta de identificação. Duráveis, podem ser aplicadas nos objetos que as crianças levam a escola ou para personalizar os utensílios de irmãos em idades parecidas. As etiquetas para itens de alimentação aceitam inúmeras lavagens (inclusive em máquinas de lavar louças) sem se deteriorar.

Etiquetas de identificação para itens de higiene

As etiquetas também podem ser utilizadas em shampoos, condicionadores, sabonete líquido, pasta de dente, entre outros itens. Não perca mais esses objetos em viagens, passeios ou na escola!

Etiqueta de identificação para sapatos

Calçados também podem ser identificados com as etiquetas personalizadas! Fabricadas em vinil, podem ser aplicadas em chinelos, sandálias, tênis e sapatilhas. Impermeáveis, as etiquetas ainda contam com uma película para proteção contra o suor e atrito dos pés.

As etiquetas de identificação Fabee Store estão disponíveis em diversos modelos e cores. Escolha o seu preferido sem sair de casa, com todo conforto e segurança!

Confira!

Loja Online Fabee Store

A importância de refeições com variações de alimentos e como criar um cardápio semanal personalizado

Alimentação é, sem dúvida, um dos pontos mais críticos na relação de mães e cuidadores com as crianças da casa e em quase 100% das famílias é motivo de preocupação e muitas, muitas dúvidas, especialmente por que uma dieta rica, com grande variedade de nutrientes, sabores, cores e texturas influenciam positivamente não apenas na saúde do corpo mas também no desenvolvimento geral das crianças.

Os problemas mais comuns nesses casos abrangem a seletividade da criança, que aceita apenas alguns poucos alimentos, a total recusa em consumir legumes, verduras e frutas, a diferença de alimentação em casa, na casa dos avós e na escola, e a diferença de percepção em relação aos cuidados com a alimentação da criança, como um cuidador que insiste em oferecer doces e guloseimas, o que restringe e prejudica ainda mais o paladar dos pequenos.

Para solucionar esse drama, deve haver uma força em conjunto para fazer com que as crianças se interessem e aceitem alimentos variados e bastante paciência para lidar com os choros e chantagens quando não recebem os doces, salgadinhos, sorvetes e outros alimentos poucos saudáveis a que acabaram se acostumando. Para atingir esse objetivo, pais, avós, escola, pediatra e nutricionista devem agir com parceria, calma e determinação para modificar aos poucos os hábitos alimentares das crianças.

Calendário semanal personalizado: um grande aliado

 


Para ajudar nesse processo, montar um cardápio semanal personalizado, levando em
conta as particularidades de cada criança pode ser avaliado como uma eficaz opção. Com a ajuda do pediatra ou nutricionista, é possível planejar dia a dia (e com antecedência) todas as refeições dos pequenos. Além disso, é possível incluir as crianças na montagem do cardápio, fazendo com que participem dessa nova rotina, opinem e possam fazer escolhas também, tornando-s uma atividade prazerosa que, além de facilitar a rotina com os pequenos ainda os ajuda em seu desenvolvimento cognitivo e na criação de hábitos alimentares saudáveis. A imagem abaixo exemplifica o cardápio:Cardápio semanal personalizada para crianças

Veja as dicas abaixo e saiba como você pode montar o cardápio semanal personalizado das crianças:

– Com os itens e dicas que o nutricionista ou pediatra indicou na dieta da criança em mãos, sente-se com ela, mostre os alimentos e informe sobre a importância deles.

– Após isso, a criança pode começar a opinar e colocar no cardápio seus alimentos prediletos (saudáveis).

– Tente sempre inserir novos alimentos, para que os pequenos possam descobrir novos sabores.

– Eventualmente, em alguns dias da semana (um ou dois) você pode incluir algum alimento não muito saudável que a criança goste muito (tome cuidado para que o “alimento gostoso” não seja um prêmio por comer comidas “menos gostosas”. A intenção é que ela entenda que comer “besteira” tem hora assim como os outros alimentos.)

Cardápio semanal personalizadoPara tornar o momento de planejar a alimentação mais prático e divertido, a Fabee Store disponibiliza em sua loja virtual uma série de modelos incríveis de cardápio semanal personalizado. Além disso, você pode encontrar uma grande variedade de etiquetas personalizadas para diversas finalidades, quadros de incentivo personalizados e diversos outros produtos. Confira!

Etiquetas personalizadas: 11 dicas e sugestões de utilização para aderir de vez!

Etiquetas PersonalizadasQuem tem crianças em casa agradece a cada ideia inovadora e criativa para facilitar a rotina com os pequenos. Com tantos afazeres e responsabilidades, soluções que tornam a vida mais fácil (e menos caótica) são muito bem recebidas e rapidamente inseridas no dia a dia. As etiquetas personalizadas certamente entram nesse grupo de produtos queridinhos, que ajudam na organização dos itens das crianças de maneira charmosa e criativa, especialmente nos casos em que há mais de uma criança na família, quando os itens quase sempre são muito parecidos.

Confira agora 11 utilidades das etiquetas personalizadas e entenda as vantagens:

  1.  Etiquetar materiais escolares das crianças de forma prática e fofa com etiquetas personalizadas para material escolar, inclusive os itens menores como lápis, apontador, borracha etc;
  2.  Etiquetas para Identificar itens de higiene;
  3.  Uniformes podem ser identificados com etiquetas personalizadas para roupas que não saem na água, assim como outras peças de roupa (incluindo meias, calcinhas e uniformes escolares), evitando que se percam ou que sejam trocadas com os coleguinhas;
  4. Etiquetar presentes com etiquetas para presentear De Para: quando houver uma festinha, o amigo do seu filho receberá um presente identificado com carinho e bom gosto;
  5. Podem ser utilizadas em utensílios de alimentação, como copos, pratos, talheres e mamadeiras, já que alguns modelos são à prova d’água e podem ir ao micro-ondas;
  6. Etiquetas personalizadas com nome da criança e número de telefone de um dos pais ou responsáveis, afixadas às roupinhas dos pequenos, podem ser uma proteção a mais caso se percam em lugares muito lotados;
  7. Podem utilizar etiquetas para alergias e restrições alimentares devidamente destacadas em lancheiras e agendas, evitando que a criança tenha contato com alimentos que tenha intolerância;
  8. Etiquetas personalizadas para remédios, para identificar medicações com o nome da criança;
  9. Troca de brinquedos no parquinho? Só se as crianças quiserem. É possível aplicar etiquetas com nome e telefone para contato em caso de troca, extravio ou em diálogos do tipo “é meu” “não, é meu!”
  10. Colocar o nome das crianças nos sapatinhos também é possível! Há alguns modelos específicos de etiquetas personalizadas para sapatos que podem ajudar a mamães. Nas festas infantis, aonde as crianças costumam tirar os sapatos para brincar, fica mais fácil localizá-los, na hora de ir embora.
  11.  As etiquetas personalizadas podem ser facilmente adquiridas pela internet e a personalização com estampa e nome da criança é feita totalmente dentro do site. Fácil, não?

Confira nossa galeria de algumas etiquetas personalizadas da Fabee

Fabee Loja OnlineA Fabee Store possui em seu catálogo uma grande variedade de modelos para quadros de incentivo, cardápio semanal, entre outros itens.

No site você pode encontrar seu produto, escolher a cor, o modelo e inserir o nome para impressão, tudo isso de forma prática e sem sair de casa!

 

Personalize na Loja Virtual da Fabee

Receita Kids: Frozen de frutas em 10 minutos

crianca-e-laranja

 

Cozinhar com as crianças é um ótimo exercício para incentivar o trabalho em equipe, e treinar a concentração, além de ser também um momento de aprendizagem! Você já parou para pensar quanta coisa pode ensinar para o pequeno enquanto ele te ajuda a fazer uma receita? Cores, sabores, medidas, nomes dos alimentos, etc…

 

Que tal fazer 1 receita especial por semana, tendo como ajudando o seu filho? Ele vai adorar e vai aprender também! É claro que a atenção na cozinha vai ser redobrada, não deixe que ele manipule facas ou utensílios perigosos e mantenha o pequeno longe do fogão. Mas se você escolher receitas fáceis ele pode te ajudar brincando! Hoje trouxemos uma sugestão super prática e gostosa, é um Frozen de Frutas que fica pronto em 10 minutos! Vamos lá:

 

cf266_quintal_12

 

Ingredientes:

1 e 1/2 xícara de iogurte grego natural (300 g)

2 xícaras de morangos congelados (330 g)

1/2 xícara de abacaxi congelado (100 g)

1 banana congelada

1 colher (sopa) de suco natural de maracujá coado

Cascas de dois maracujás

 

Como fazer:

Um dia antes descasque e corte as frutas e deixe elas no congelador. Na hora de começar a fazer o Frozen chame o pequeno e peça para ele te ajudar alcançando as frutas que você pedir, assim ele já vai se familiarizando com os nomes e cores. Vá falando um pouquinho sobre cada fruta para ele conhecer cada uma delas. Peça para que ele vá jogando as frutinhas dentro do liquidificador. Para os que estão aprendendo a contar, aqui é uma ótima oportunidade de treinar. Depois parta para os ingredientes líquidos, explique a medida de 1 e 1/2 xícara de iogurte e peça para ele te ajudar a despejar no liquidificador,  faça o mesmo com o suco de maracujá. Tudo dentro do liquidificador? Agora é hora de tampar e bater todos os ingredientes até que a mistura fique com uma consistência cremosa. Sirva o Frozen dentro das cascas de maracujá para ficar charmoso e divertido! Agora é só pegar as colheres e degustar!

 

Dica da Fabee: Que tal identificar todos os potinhos e utensílios da cozinha com adesivos personalizados? A Fabee Store tem kits prontos! É só entrar no site e personalizar do seu jeitinho. Veja aqui!

 

Papinha, frutinha e suquinho: dicas para alimentação guiada do bebê

vitamina-c-gravidez-bebe

 

Seu bebê chegou na fase avançada da nutrição e vai começar a conhecer os alimentos? Essa é uma fase muito importante no desenvolvimento do seu filho, e é claro que os especialistas dão dicas valiosas para ajudar as mamães nesse processo. As crianças precisam sentir a textura dos alimentos, poder escolher entre os tamanhos, cores, odor e paladar.

 

Confira uma lista de 10 dicas que ajudarão a fazer com que os bebês experimentem alimentos saudáveis:

 

1 – Deixem que seus filhos, a partir dos 6 meses de idade, sentem à mesa com vocês no momento das refeições (nas cadeirinhas apropriadas para ficarem todos confortáveis);

2 – Façam um pratinho com itens cortados e deixem ao alcance para que ele possa pegar, amassar, experimentar;

3 – Pense em porções e formatos que a criança consiga pegar com as mãos e levar sozinha à boca;

4 – Atenção para que os pedaços não sejam muito grandes e provoque engasgo. Só fiquem de olho, mas não piquem muito pequenininho, eles precisam ter a experiência de mastigar e sentir;

5 – Os alimentos oferecidos cortados também devem ser ingeridos pelo restante da família que compõe a mesa;

6 – Podem manter o início da alimentação com as papinhas, frutas amassadas, sucos coados. Fiquem atentos aos sinais de seu filho. Caso percebam que ele já tem habilidade em comer sozinho, deixem ter autonomia;

7 – É esperado que seu filho brinque com os alimentos nos primeiros dias, e depois ele vai arriscando colocar na boca, podendo cuspir ou engolir;

8 – Não insista ou obrigue-o a comer, nem mesmo o premie com elogios demasiados, promessas ou brinquedos;

9 – Conquistando a habilidade da mastigação e manejo da língua, permitam alimentos amassados com pedaços e migrem gradativamente para pedacinhos, independentemente da idade;

10 – Paciência: a autonomia é algo a ser conquistado pela criança e a segurança deve ser parceira dos pais.

 

Lembre-se: A alimentação guiada pelo próprio bebê é um caminho natural, mas nenhum passo deve ser uma regra; use justamente aquele seu instinto de mãe, procure a parceria de um profissional pediatra e/ou nutricionista e entenda como os hábitos de sua casa podem ser ajustados para melhor alimentar seus filhos.

 

Dica da Fabee: Seu filho vai para a creche ou escolinha? Que tal etiquetar os portinhos das alimentações com informações sobre restrições ou cuidados? Na Fabee Store você encontra etiquetas lindas e personalizadas para identificar tudinho! Confira aqui!

 

Lancheira saudável: a alimentação do seu filho na escola

lancheira saudável

 

Para garantir uma alimentação saudável pro filhote no período em que ele está na escola, o importante é combinar três grupos alimentares na lancheira: os construtores (proteínas como queijos, iogurtes, leite e carnes), os reguladores (frutas, legumes e verduras) e os energéticos (carboidratos, como pães, biscoitos e bolos). Outro detalhe super importante: a cultura da boa alimentação vem de casa. Então ensine seu filho a comer esses alimentos em casa, todos os dias, assim ele não vai estranhar os lanchinhos na escola.

 

Quer uma ajuda para montar o cardápio? Então antes de planejar o recheio da lancheira do seu filho na volta às aulas, confira algumas dicas super saudáveis que preparamos para você:

 

lancheira saudável 02

 

PARA BEBER
Sucos são uma grande dúvida. É difícil mandar os naturais, porque muitos perdem o gosto e os micronutrientes quando não são consumidos na hora. Para evitar que isso aconteça, escolha frutas com menor velocidade de oxidação, como goiaba, acerola, abacaxi e maracujá. Com o passar do tempo, a bebida perde mesmo uma parte das vitaminas, mas, ainda assim, é mais saudável que as versões industrializadas. Para armazenar e transportar, prefira as garrafas térmicas. Nessas condições, os sucos dessas frutas podem ser consumidos em média até 3 horas após o preparo. Outra opção são os sucos de polpa e o suco de uva integral, que são vendidos em garrafas no supermercado, e também a água de coco pasteurizada. Fique sempre atenta aos rótulos e escolha produtos livres de corantes, acidulantes, sódio e açúcar.

 

FUJA DO COMUM
Se o seu filho não tem comido as frutas que você coloca na lancheira, que tal variar? Muitas vezes, os pais mandam maçã ou banana por conta da praticidade e as crianças enjoam. Uva, morango, manga, melão ou melancia picados, em potes vedados, ajudam a diversificar o cardápio.

 

NADA DE EMBUTIDOS
Parece prático, mas um sanduíche com frios, como o peito de peru, não é um aliado da saúde. Isso porque esses alimentos são processados e apresentam conservantes, corantes, realçadores artificiais de sabor e uma quantidade muito alta de sódio. Além de acostumar o paladar das crianças com o excesso de sal, o exagero pode ocasionar uma série de problemas a curto e a longo prazo. A hipertensão é o principal deles.

 

SOBRA DO BEM
Fez milho para o jantar e sobrou? Raspe um pouco e coloque num potinho vedado. Vira um lanche nutritivo e ainda ajuda a economizar seu tempo. O mesmo acontece com alimentos como tomate-cereja e cenoura baby.

 

PÃO TURBINADO
As bisnaguinhas costumam ser a primeira escolha dos pais apressados, pelo formato e pela fácil aceitação das crianças. No entanto, há alternativas mais saudáveis e sem tantos conservantes, como os pãezinhos de mandioca ou de cenoura encontrados na maioria dos supermercados e padarias. Eles também são pequenos, só que mais saborosos e, como são feitos com ingredientes mais saudáveis, aumentam o valor nutricional do lanche.

 

UMA SEMANA, UM PATÊ
Patês são ótimos recheios para os sanduíches. Você pode prepará-los usando ricota, queijo tipo cottage ou cream-cheese como base. Basta colocar no processador com seus ingredientes favoritos. Pode ser salsinha, atum, cenoura… Se colocados em um pote fechado na geladeira, duram quatro ou cinco dias, ou seja, rendem mais de uma lancheira. Para levar os lanches recheados à escola, embrulhe-os em papel-alumínio ou papel-filme, que ajudam a conservar o sabor.

 

BELISCAR COM SAÚDE
Frutas desidratadas, mix de castanhas e cereais sem açúcar também são boas sugestões. Você pode colocar num saquinho ou num pote fechado. É prático e faz bem.

 

BOLO SAUDÁVEL
Os bolos são boas fontes de carboidratos, desde que preparados de maneira saudável, com menor quantidade de farinha branca, por exemplo. Pode ser de cenoura, limão, coco, laranja e até o de chocolate (feito com cacau em pó). No preparo, dá para substituir parte da farinha de trigo refinada por integral, aveia ou biomassa de banana verde. O açúcar comum pode ser trocado pelo mascavo.

 

IOGURTE NO FREEZER
Produtos lácteos são fontes de proteína, mas também estragam com facilidade. Você pode mandar iogurte na lancheira sem correr esse risco. É só deixar o produto no freezer por algumas horas, o suficiente para congelar. Um pouco antes de ir para a escola, retire-o e coloca na lancheira. Até a hora do recreio, ele vai estar descongelado e fresco para o consumo.

 

Dica da Fabee: Que tal deixar tudo mais que organizado na cozinha e na lancheira do seu filho etiquetando os potinhos? Temos várias opções de etiquetas personalizadas para você escolher! Dá uma olhadinha aqui! 

etiquetas lancheira fabee

 

10 dicas de comidinhas para um picnic infantil!

O inverno já está se despedindo, e logo logo chega a primavera com dias bonitos e agradáveis, perfeitos para um picnic! A turminha adora esse tipo programa, e é uma prática muito saudável também! Contato com a natureza, comidinhas leves e muita diversão. Na hora de pensar o cardápio do picnic é importante lembrar que quanto mais prático melhor, prefira comidas que não precisem o uso de talheres – no máximo um garfo! Um picnic pede receitinhas fáceis de preparar e de levar.

 

Confira nossas 10 dicas de comidas e bebidas para um picnic infantil!

 

1. Não levar: Nunca leve produtos que se estragam com facilidade como cremes tipo maionese, com ovo cru na sua composição, peixes, carnes cruas e bolos com cremes, principalmente se o piquenique durar um dia inteiro, afim de evitar intoxicações alimentares;

2. Variedade: O ideal é apostar em receitas que agradam a todos os gostos! Escolha comidas variadas (de 3 a 4 tipos) para que haja escolha;

3. Um para cada um: De preferência prepare sempre porções individuais, isso facilita o manuseio dos lanchinhos e ajuda na hora da limpeza também;

4. Sem talher: Leve aperitivos fáceis de comer com a mão, como azeitonas, frutas secas, castanhas;

5. Os bolos: Bolos simples (fubá, chocolate, formigueiro, cenoura) embalados em pedaços ou bolinhos individuais (muffins e cupcakes) são ideais;

6. Tudo montadinho: Sanduíches e quiches são uma ótima pedida, pois são práticos de transportar e de servir. O melhor é levar os sanduíches já montados;

7. Bem prático: Biscoitos variados e salgados assados também caem super bem na cesta do picnic;

8. Sobre as frutas: As frutas frescas devem ser levadas preferencialmente inteiras, pois dessa forma resistem mais tempo às altas temperaturas. Escolha as frutas da estação, que estejam maduras e sejam fáceis de descascar como maçã e banana! Frutas pequenas e que não precisam ser descascadas, como morangos, uvas e ameixas são ideais;

9. Bebidinhas: Prepare uma ou duas opções de suco natural e leve em garrafas térmicas com gelo. Dê preferência a frutas mais doces, como melão e melancia. Água de coco e chás gelados também são boas ideias para manter a criançada hidratada nos dias de calor;

10. Para conservar: Para conservar melhor e manter as bebidas frescas opte por bolsas térmicas ou isopores. Uma ótima dica é colocar garrafas plásticas com água congelada dentro das bolsas térmicas pois além de ajudar a conservar os alimentos depois de descongeladas servem para matar a sede;

 

Dica da Fabee Store: A Fabee Store tem um monte de acessórios personalizados que ajudam na hora do lanche: Squeeze personalizado, toalhinha de mão personalizada, caneca personalizada, jogo americano personalizado e cardápio semanal! Tudo feito com os nossos personagens e o nome do seu pequeno! Confira aqui!

 

Dicas para ajudar na alimentação saudável das crianças

Uma das maiores preocupações das mães em relação aos filhos é mesmo com a comida. “Meu filho não come!” ou “só come besteira” é uma das queixas mais comuns que a maioria dos nutricionistas que atendem crianças e pediatras ouve em seus consultórios. É importante que os pais compreendam que o apetite da criança diminui após o primeiro ano de vida, e isto é normal. A criança triplica seu peso até o primeiro ano e depois ocorre uma diminuição do ganho de peso e crescimento. Tudo normal!

 

O importante é não forçar a criança a comer quando não estiver com apetite. Cada criança possui sua própria necessidade de alimentos. Umas precisam mais, outras menos. Umas sofrem muito com a fome, outras menos. Uma criança miúda precisa comer menos do que outra da mesma idade mas que tem um corpo maior para sustentar. Também pode ocorrer que duas crianças da mesma idade e com o mesmo peso tenham apetites diferentes, porque suas necessidades são diferentes, desenvolvendo-se as duas normalmente.

 

É sempre importante comer junto com a criança. Dar o exemplo de que é importante comer de uma maneira saudável. Essa atitude é essencial para a educação nutricional já que eles se espelham nos pais ou cuidadores.

 

DICAS PARA AJUDAR OS PAIS NESTA FASE:

– Respeitar o direito da criança de ter preferências e aversões, mas lembre-se que dizer não já na primeira vez não é aversão. Ofereça a ela 7 ou mais vezes o alimento com diferentes preparações. Exemplo: cenoura cozida, cenoura ralada, bolo de cenoura, panqueca de cenoura, etc.

 

– Oferecer os alimentos em quantidades pequenas para encorajar a criança a comer. É comum as mães oferecerem mais comida do que a criança consegue assimilar, provavelmente, em virtude do fato de que é difícil para a mãe definir as reais necessidades de seu filho.

 

– Não forçar, ameaçar, punir ou obrigar a criança comer, assim como não oferecer recompensas e agrados, atitudes que reforçam a recusa alimentar e desgastam pais e filhos.

 

– Não utilizar subterfúgios tais como o famoso “aviãozinho ou trenzinho”, visto que tais atitudes desviam a atenção e comprometem a percepção dos alimentos.

 

– Não demonstrar irritação ou ansiedade no momento da recusa. A criança deve sentir-se confortável no momento da refeição.

 

– Estabelecer o tempo de duração e os horários das refeições, evitando a oferta de alimentos a todo o momento.

 

 

– Apresentar os pratos de maneira agradável, com textura própria para a idade, evitando a monotonia alimentar, fator este que interfere de modo significativo na formação do habito alimentar da criança.

 

– Durante a refeição o ambiente deve ser agradável, com a ausência de ruídos, o que distrai a atenção da criança.

 

– A participação da criança durante o preparo dos alimentos e na montagem do prato é uma atitude que incentiva a criança a comer e a estimula a participar das tarefas domesticas.

 

– Respeitar as oscilações passageiras do apetite, as quais ocorrem normalmente em todos os indivíduos.

 

– Não disfarce os alimentos! A criança precisa saber o que está comendo, favorecendo o aprendizado e a identificação de texturas e sabores.

 

– Para as crianças que ingerem grandes quantidades de leite, deve-se diminuir o volume e a frequência, uma vez que líquidos suprem a sensação de fome.

 

Dica da Fabee Store:

A Fabee Store acabou de lançar um cardápio semanal para te ajudar a organizar as refeições da família! É um quadrinho que você fixa na geladeira com imã e pode preencher com o cardápio do dia! E você apaga facilmente com o mini apagador! Clica aqui para conferir!

 

 

Filhos: cuidando de alergias e intolerâncias alimentares

Vamos falar um pouco sobre as restrições alimentares dos pequenos? É cada vez mais comum crianças nascerem com algum tipo de alergia ou intolerância alimentar, e essa condição exige uma atenção especial dos pais. Entenda como identificar, cuidar e lidar com os tipos mais comuns de intolerância e alergias alimentares infantis.

O primeiro passo é entender a diferença entre alergia e intolerância: Com a alergia não existe uma quantidade grande ou pequena que faça mal. Tanto faz uma criança que tem alergia a morango comer um ou 20 morangos, a reação vai acontecer. No caso da intolerância, depende da dose. Tem crianças que toleram bem uma pequena quantidade de leite, por exemplo, no caso da intolerância à lactose, e que podem ingerir um pouco de leite e não terá problema nenhum.

Glúten

A doença celíaca, mais conhecida como intolerância ao glúten, normalmente se manifesta na infância, entre 1 e 3 anos de idade. Considerada autoimune, na doença celíaca o organismo ataca a si mesmo, mais precisamente o intestino delgado, dificultando a absorção de vitaminas, nutrientes e sais minerais. Pães, bolos, biscoitos, macarrão e pizza são alguns exemplos de alimentos que, normalmente, contêm glúten e são proibidos aos celíacos. Principal proteína do trigo, aveia, malte, centeio e cevada, o glúten ou suas partes estão presentes em alimentos de todas as espécies. É um problema genético e o único tratamento é a exclusão, por toda a vida. Nesse caso, os pais devem estar sempre atentos ao que a criança vai comer e ensinar desde cedo a procurar nos rótulos se os alimentos têm, ou não, glúten. Como opção, pode-se substituir os ingredientes com glúten por fécula de batata, amido de milho, fubá ou farinha de mandioca. Identificando a intolerância ao glúten: os principais sintomas são diarreia ou prisão intestinal, inchaço, pouco ganho de peso e irritação.

Lactose

Quando uma criança produz pouca enzima lactase, responsável por digerir a lactose no organismo, ela desenvolve a intolerância a produtos lácteos, como leite, queijo e outros alimentos feitos a base de lactose, que nada mais é do que o açúcar do leite. Mas se o problema for uma reação à proteína do leite da vaca, trata-se de uma alergia. Como até os seis meses de idade o bebê só se alimenta de leite materno, a alergia, mais comum nos lactentes, começa a surgir quando o leite de vaca é introduzido na dieta do bebê. Identificando a alergia à proteína do leite: Como o bebê não sabe expressar o incômodo, ele rejeita o leite, apresenta irritabilidade e sinais como sangue nas fezes, refluxo e dores abdominais são visíveis. Asma, rinite e chiado no peito também são comuns da alergia à proteína. Para a alergia não existe um tratamento, a criança não pode ingerir alimentos que contenham a proteína do leite. Já a intolerância à lactose pode ser tratada com o controle do consumo do leite e com a ingestão de lactase, que pode acontecer por comprimidos ou gotas.

Soja, ovo e frutos do mar

Soja, ovo, nozes e amendoim, peixes e frutos do mar e frutas cítricas estão entre os alimentos com maior incidência de alergia infantil. É mais comum que a reação alérgica com abacaxi, manga, morango e outras frutas cítricas seja oral, com irritação, coceiras ou inchaço labial. Nesses casos, basta que a mãe aqueça a fruta em alta temperatura que haverá uma desnaturação da proteína que está causando a alergia. Bolos ou preparos quentes não fazem mal. Só existe uma maneira de conviver com a alergia: não tem jeito, tem que tirar o alimento da criança. Se ela continuar tendo acesso ao alimento que tem alergia pode ter algo mais grave como um quadro de choque anafilático. Por isso, os especialistas recomendam que a mãe evite fornecer alimentos como soja, ovo, amendoim, peixes e frutos do mar para a criança antes de um ano de idade.

Ajuda para os pais identificarem os alimentos dos pequenos

Toda criança precisa participar do convívio social, seja na escolinha, nas festinhas da família, ou na casa dos amiguinhos, e a restrição alimentar aqui não pode se tornar um problema. Pais de crianças com esses tipos de restrição precisam dedicar um tempo à lancheira do filho! Qualquer evento fora de casa exige uma lancheira especialmente identificada, e todas aquelas recomendações ao adulto que vai estar acompanhando seu filho. Em casa mesmo é importante identificar os pratos e talheres do pequeno para que só ele use, assim evitamos de contaminar esses utensílios com as substâncias que fazem mal à ele. Para ajudar nesse processo todo, a Fabee Store desenvolveu etiquetas a prova d’água próprias para identificar as restrições alimentares do pequeno, são etiquetas que vem com o nome do seu filho e o alimento a que ele tem alergia ou intolerância. Perfeitas para a lancheira da escola, e para eventos fora de casa! Quer conferir mais detalhes? Acesse esse link.