Criança com dificuldade de aprendizagem: os pais podem ajudar

Criança com dificuldade de aprendizagem

Olá mamães! A Fabee Store também se preocupa com a relação pais e filhos e, por isso, sempre traz posts informativos sobre temas variados que envolvem os filhos. Hoje falaremos sobre um assunto bem comum: criança com dificuldade de aprendizagem. Saiba que os pais podem ajudar (e muito) num processo de recuperação e melhora.

A dificuldade de aprendizagem existe quando há conflitos no processo de adquirir e utilizar a compreensão auditiva, oral, de leitura, de escrita e, ainda, de raciocínio matemático. Quando isso acontece, as crianças podem apresentar passividade e falta de iniciativa, isolamento, desinteresse pela leitura, apatia e esquiva de situações que exigem comportamentos ativos, além de medo, frustração, raiva e culpa.

Problemas de dificuldades são avaliados observando-se comportamentos passados, bem como as condições em que a pessoa se encontrava antes do desencadeamento do problema. A partir disso, a família pode contribuir de forma a tentar uma mudança nos comportamentos. Os pais representam o primeiro contato das crianças e com quem elas mais passam seu tempo, e por isso a importância de receberem um estímulo em casa. Isso pode ser feito, principalmente, com uma alteração das condições que possivelmente desencadearam o problema e incentivo e ajuda nas atividades escolares.

Os pais precisam interagir com a criança. Seja na contribuição para a realização de tarefas e trabalhos, no monitoramento da rotina diária, na participação de reuniões escolares, e, principalmente, incentivos e elogios – que ajudam a despertar o interesse e motivação. É certo que podem existir dificuldades no acompanhamento direto da família, desde a falta de tempo, o nível de dificuldade do filho, os tipos de avaliações feitas pela escola, e até o desconhecimento dos processos relacionados à vida escolar.

De qualquer forma, é imprescindível que haja um engajamento dos pais na tentativa de melhora da dificuldade de aprendizado. E para isso, alguns pontos podem ser levados em consideração:

Estabelecer rotinas

Os horários da criança e de suas atividades durante o dia precisam se organizados. É preciso disciplina e ordem, separando o tempo dos estudos (ida à escola, estudar e fazer trabalhos e tarefas) e o de outras atividades (brincar, fazer refeições e dormir). Tome cuidado para não exagerar nas atividades extraclasses, já que em excesso podem prejudicar o desempenho da criança

 Supervisão e acompanhamento de tarefas

As tarefas buscam ampliar a prática das habilidades acadêmicas e, por isso, trazem muitos benefícios para os alunos, desde o desenvolvimento de habilidades específicas (como a solução de problemas), motivação para a aprendizagem e melhora dos hábitos de estudo, até o senso de responsabilidade. Como as tarefas são feitas em casa, é de suma importância que os pais acompanhem os filhos, já que isso contribui amplamente para o progresso no desempenho escolar. É preciso atentar para o fato de que os deveres não devem ser resolvidos e nem se deve dar a resposta (mesmo que isso seja o mais fácil e rápido); os pais devem apenas auxiliar a execução e tirar dúvidas.

Ambiente apropriado para o estudo

Ter um ambiente adequado também contribui e incentiva o gosto pelos estudos. É preciso que o local seja organizado, arejado, com iluminação adequada e com pouco ruído. Além disso, disponibilizar recursos (livros, dicionários, materiais) que facilitam o processo de aprendizagem também é um fator importante.

Interagir positivamente

Os pais precisam interagir positivamente com os filhos, ou seja, incentivar, elogiar, apoiar e dar suporte durante as tarefas. Elogiar e se mostrar entusiasmado quando surge uma resposta certa, por exemplo, ajuda a aumentar o interesse da criança e a satisfação pelos estudos, além de incentivar a prática de estudar.

Exigir conforme o desempenho da criança

Um cuidado deve ser tomado quanto às expectativas dos pais referentes ao desempenho do filho. Quando se exige demais da criança, ela pode se frustrar e se culpar por não conseguir superar o esperado, e esse é um fator que pode comprometer seriamente o interesse pelos estudos. Portanto, incentive tendo como base a capacidade da criança, sem exigir demais e sem causar prejuízos ao pequeno.

Diante disso, é importante pensar no que pode comprometer (ao invés de ajudar) a aprendizagem, e um fator é a punição. Alguns pais só interagem com seus filhos quando querem corrigir ou criticar – seja por uma nota baixa, por uma reclamação da escola – e acabam por aplicar punições em casa. É claro que a criança não pode viver desregrada, mas os castigos aplicados referentes ao âmbito escolar podem servir como desestímulo para as crianças. Além disso, podem desencadear (ou reforçar) medo, ansiedade, culpa e a sensação de não adequação à sociedade, bem como supressão de respostas (o chamado “branco” em provas, por exemplo), respostas de fuga (desligar-se ou desistir) e baixo nível de autoconhecimento.

Os pais podem ajudar a criança com dificuldade de aprendizagem, para isso, devem ser presentes na vida dos filhos. E em casos mais graves, recomenda-se também o acompanhamento da pedagogia e psicologia somado às atitudes em casa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *