Crianças e o transtorno de ansiedade

Crianças e o transtorno de ansiedade

Olá, meninas. Tudo bem? Hoje no blog da Fabee, sua loja online de produtos personalizados vamos falar um pouco sobre algo que preocupa muitas mamães: o transtorno de ansiedade nas crianças. Para isso, usamos como fonte informações publicadas lá no blog Psicoterapia Infantil, tudo bem?

Então, segundo especialistas, a ansiedade é uma reação comum, principalmente, porque serve como uma espécie de alarme frente ao perigo ou ameaça. Como resposta do corpo e da mente, reações físicas podem ser sentidas, como batimento acelerado, tontura, dificuldade para respirar, tremores etc. Essas reações são chamadas de luta-fuga.

A ansiedade pode ser sentida em todas as idades e o grau pode variar de pessoa para pessoa. Nas crianças, um simples teste ou o fato de mudarem de escola, por exemplo, pode gerar esse desconforto. Até certo ponto, a ansiedade é normal, pois nos mantêm em alerta e focados. Porém, se for muito frequente ou muito forte, pode prejudicar no desenvolvimento de diversas atividades e no desempenho das crianças.

Muitos são os distúrbios de ansiedade e seus sintomas, que podem surgir aos poucos ou mesmo subitamente. Entre as causas podem estar inclusas a genética, o convívio e comportamento aprendido, algumas circunstâncias da vida, a bioquímica cerebral. Fatos que aconteceram, como a morte de um parente, separação dos pais e até mesmo mudanças radicais, como mudar de cidade, podem contribuir para esse mal. Por outro lado, se na família um ou mais membros sofrem de ansiedade, as chances de que a criança tenha o problema é grande.

As crianças, no geral, evitam falar sobre o modo como se sentem, por medo de serem julgados ou por pensar que os adultos não as vão entender. Para tentar identificar se seu filho sofre de ansiedade, você pode observar algumas atitudes: dificuldade ou inquietação na hora de dormir, sono excessivo durante o dia, preocupação demasiada em vários dias da semana (por semanas seguidas), irritabilidade, dificuldade de concentração.

Entre os transtornos que podem vir a desencadear estão:

Transtorno de Ansiedade Generalizada: Preocupação excessiva com muitas coisas, como a escola, a saúde ou segurança dos familiares, ou com o futuro. Os pensamentos são sempre negativos. Sintomas físicos, como dores de cabeça, dores de estômago, tensão muscular ou cansaço podem acompanhar.

Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC): A ansiedade, nesse caso, pode tornar-se obsessão (pensamentos excessivamente preocupantes) e compulsão (ações repetitivas para tentar aliviar a ansiedade).

Fobias: Medos intensos de situações específicas, não necessariamente perigosas. Medo de altura, de cães, ou de voar de avião são alguns exemplos.

Fobia Social, ou ansiedade social: É desencadeada por situações sociais ou por falar em público.

Ataques de Pânico. Podem ocorrer sem nenhuma razão aparente. A criança pode ter súbitos e intensos sintomas físicos, como coração acelerado, falta de ar, tontura, dormência, formigamento ou sentimentos.

Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT): É desencadeado por uma experiência traumática passada. Entre os sintomas estão flashbacks, pesadelos, medo e fuga do evento traumático que causou a ansiedade.

Se seu filho possui algum transtorno de ansiedade, o primeiro passo é procurar ajuda de um especialista. Um terapeuta é o mais indicado, já que poderá identificar qual o transtorno e a melhor forma de tratá-lo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *