10 dicas para estimular a criatividade infantil

Preparar o seu filho para que ele seja um bom profissional está na wishlist de qualquer pai. Mas já imaginou que, além de investir na educação escolar dos pequenos, o estímulo à curiosidade e à imaginação pode ser igualmente importante? É isso mesmo. A tão solicitada criatividade é algo que deve ser alimentado durante a infância, desde cedo. Pensando nisso nós separamos 10 dicas fáceis que vão ajudar você com os exercícios para a imaginação:

 

1. Tente organizar pelo menos uma vez por semana atividades criativas que você possa fazer junto com o seu filho. Por exemplo, a tarde de sábado pode ser reservada para a criação de um mural na parede do jardim, feito com pincel e tinta. Ou então, vocês podem se preparar para uma sessão de cozinha infantil, fazendo um bolo juntos. Varie muito, para que você possa perceber quais as atividades criativas que o pequeno mais gosta, e quem sabe, descobrir algum talento escondido. Dica: Tenha uma lista reserva de possíveis passatempos para os dias chuvosos.

 

2. A sua casa também deve ser um local de inspiração! Faça questão de encher as paredes de arte, fotografia e ilustração. Evite muito silêncio, uma trilha sonora sempre cai bem! Apresente todos os estilos musicais ao seu filho. Se puder, crie um “cantinho artístico” em casa – recheado com papel, cadernos, tintas, marcadores, lápis de cera, tecidos, revistas velhas e cola – onde as crianças possam expressar a sua criatividade de forma espontânea.

 

3. Motive as crianças a desenvolverem projetos diferentes de tudo aquilo que já viram, incentive-as a terem as suas próprias ideias e a executá-las. Você pode começar com perguntas como “o que será que aconteceria se…” para estimular a imaginação dos pequenos. Encoraje-os a terem a aberta e a experimentarem um pouco de tudo.

 

4. Quando seu filho pedir para que você faça um desenho, inverta a situação, diga que você adoraria ver o que ele consegue criar. Nunca espere perfeição ou maturidade de um projeto infantil, mas valorize a originalidade das pequenas obras de arte.

 

5. Tente dar igual (ou até mais importância) a todo o processo criativo, em vez de concentrar as atenções exclusivamente no resultado final. As obras-primas das crianças podem ser exibidas para toda a família, em uma espécie de mostra particular, essa é uma forma não só de aplaudir a criatividade da criança, mas também de incentivá-la.

 

6. Limite o tempo que os pequenos passam em frente à televisão, computador, videogames e celulares, mas não o tempo livre que têm para realmente brincar, criar e inovar. Incentive-os a criarem os seus próprios jogos, a organizarem peças de teatro ou a elaborarem um livro ou revista – é uma excelente forma de descobrirem e se apaixonarem pela sua imaginação.

 

7. Envolva-se nas brincadeiras das crianças, mas deixe que elas sejam os líderes. Desta forma além de ganharem confiança nas suas próprias ideias, elas vão perceber o que não deu certo e como fazer da próxima vez.

 

8. Faça questão de expor as crianças ao mundo da arte e da cultura: desde lições de música ou de dança, passando por visitas frequentes a museus, galerias de arte e até concertos e peças de teatro. Desde que possam apreciar, haverá sempre alguma coisa que vão retirar destas experiências, permitindo ainda o desenvolvimento de um gosto que vai acompanha-los durante o resto da vida.

 

9 . Impulsione as crianças a fazerem perguntas, e as envolva nas próprias respostas. Estimule-os a dizerem “porque as pessoas pensam assim?” ou “se isto fosse diferente?”.

 

10. Passem um tempo ao ar livre, explorando o bairro ou fazendo pequenas viagens até o campo, praia ou outra cidade. Apreciem a beleza das nuvens, das árvores, do mar, dos riachos, dos pássaros, das flores, dos arranha-céus e dos habitantes das cidades.

 

Como estimular a imaginação das crianças

Como estimular a imaginação das crianças

O blog da Fabee Store, loja online de produtos personalizados, traz mais um post da série “como estimular as crianças”. Sempre atenta às preocupações e dúvidas dos pais, as dicas e informações de hoje são sobre como estimular a imaginação das crianças.

Para começar, é importante entender de que modos uma mente imaginativa e ativa contribui para o desenvolvimento da criança.  Uma das vantagens é a melhora do vocabulário, que pode ser conseguida por meio de jogos imaginários e também por ouvirem contos de fadas e histórias. Isso estimula os pequenos. Outro ponto positivo é a possibilidade de controle da situação, já que seu filho passa a estar no comando quando “finge” ou “faz de conta”. Ao agir assim, ele pode ser quem deseja ser, praticar situações ou coisas aprendidas, além de conseguir explorar emoções negativas.

Outro benefício gerado por uma mente imaginativa é a possibilidade de solução de problemas, isso porque imaginar – e criar situações imaginárias – permite que o pequeno pense de maneira criativa. Tudo bem, mas como estimular a imaginação da criança? Confira abaixo algumas dicas para ajudar a criança desenvolver sua imaginação:

Leia livros para ele e com ele: isso ajuda a desenvolver sua fantasia. Dê ênfase nas leituras, use entonações e vozes diferentes para os personagens, abuse das onomatopeias (imite sons de animais, transportes etc.). Depois da leitura, um bom exercício é conversar e supor outras situações para os personagens. Indagar, por exemplo, o que aconteceria se a Chapeuzinho Vermelho não tivesse desviado o caminho.

Continuar lendo

Pesadelo e terror noturno

Pesadelo e terror noturno

Olá mamães! Todos já tivemos pesadelos algum dia – ou em alguma noite. Isso é normal. Porém, é preciso saber diferenciar o pesadelo do terror noturno, fenômeno muito comum em crianças de 5 a 7 anos. Hoje o blog da Fabee Store traz dicas para você diferenciar as ocorrências e saber como lidar com isso.

Os pesadelos são sonhos assustadores, acompanhados de muita ansiedade, o que, geralmente, faz a criança despertar. Algumas vezes, esse estado ansioso não pode simplesmente ser acalmado pelo carinho dos pais, e perdura por algum tempo, em que permanece o medo de dormir e sonhar novamente. No entanto, os pesadelos são episódios comuns e uma condição benigna e autolimitada, por isso, geralmente não é necessário nenhum tratamento específico. Para amenizar as ocorrências, é preciso evitar privações de sono e estipular horários, tanto para dormir como para acordar, para que haja uma regularidade.

O terror noturno pode acontecer com cerca de 5% das crianças, que dormem profundamente, mas não sonham. Constitui-se de episódios com início súbito, que podem ser de curta duração (um minuto) ou durar até meia hora. A criança pode gritar, chorar, apresentar sudorese, batimentos cardíacos acelerados e uma expressão de medo, além de não responder às tentativas de acordá-la ou confortá-la. Pode estar, inclusive, com os olhos abertos, mas sem perceber que você está ali. Dificilmente vai acordar por conta própria e, quando acordada, permanece confusa e desorientada por alguns minutos. O que se passou durante a noite não será lembrado.

Continuar lendo

A dificuldade de impor limites aos filhos

A dificuldade de impor limites aos filhos

Cada vez mais as famílias vêm adotando um modelo mais liberal da educação dos filhos. Isso pode ser efeito dos pais dos anos 1980, que haviam sido criados de forma muito rígida e prezavam por mais liberdade. Mas, os filhos têm se tornado cada vez mais dominadores dentro do ambiente familiar. Além disso, leis de proteção à infância e maior visibilidade dos pequenos na mídia têm sido fatores que contribuem para a maior liberdade da criança, que acaba por tirar a dos pais.

O psicanalista Renato Mezan afirma que isso “por um lado, é um avanço social, há mais diálogo na família e mais decisões consensuais. Mas, por outro, os pais têm medo de exercer a autoridade legítima”. Alguns pais se sentem na obrigação de mimar os filhos, e cada vez menos se diz “não”. Principalmente quando há, na sociedade, o estereótipo de “mãe perfeita”, por exemplo.

É importante ressaltar que a vida dos pais não deve ser vivida em função dos filhos. A pedagoga e doutora em antropologia, Adriana Friedmann, explica que entre dois e três anos as crianças “experimentam um jogo de força com os adultos”, isso porque estão na fase de se autodescobrirem. E por isso a importância de se impor regras. “Os limites devem ser colocados na primeira infância, quando se constroem as bases da personalidade”.

Continuar lendo

A importância da massagem nos bebês

Massagem em bebês

Seu bebê acabou de nascer e você, mãe de primeira viagem, ainda está aprendendo a lidar com esse ser tão pequeno? Ou você já é uma mamãe mais experiente? Seja como for, você precisa saber que manter contato corporal com o recém-nascido é de suma importância para o desenvolvimento dele.

A massagem é uma forma de contato que proporciona qualidade de vida aos pequenos. Isso porque ela pode exercer várias funções. Além de melhorar a qualidade do sono, ajuda no alívio de cólicas e de doenças.

Há vários tipos de massagens específicas que podem ser aprendidas. Técnicas como a shantala ou as orientais, como tuiná, do-in, shiatsu e thai podem ser aplicadas na criança para trazer diversos tipos de benefícios. Você pode fazer aulas ou mesmo procurar algum dos diversos livros de aprendizado individual – os do tipo “faça você mesmo”.

Continuar lendo

A fase do “por quê?”

A fase do “por quê?”

Seu filho já chegou naquela fase em que várias perguntas começam a surgir? Elas sempre vêm acompanhadas de um “por quê?”. Seja como for, as perguntas servem de incentivo para o aprendizado dos pequenos.

A partir dos dois anos e meio muitas indagações começam a batutar na cabeça das crianças. A curiosidade é normal nessa idade, que pode chegar até os quatro anos. Os pais, portanto, têm um papel fundamental, já que nesse período os pequenos desenvolvem novas percepções sobre o cotidiano, além de ampliar seu vocabulário. Precisam estar preparados para responder às perguntas e aproveitar o momento para estimular o aprendizado.

Quanto às respostas, é importante procurar explicações curtas e que estejam imersas no mundo vivenciado pelas crianças. Assim, elas podem entender dentro do seu próprio contexto. Quando os pais não sabem responder, isso deve também deve ser explicado. Aqui, uma boa atitude é inverter a história e também questionar os próprios filhos.

Continuar lendo

Dicas para mamães de primeira viagem

Oi gente, tudo bem com vocês? Hoje, aqui no blog da Fabee, vou dar algumas dicas para as mamães de primeira viagem. Afinal, são tantas preocupações nesse período que fica difícil lembrar de tudo, né? Um post contendo várias informações sempre ajuda! ^^

Ser mãe de primeira viagem é, antes de tudo, entender que você não é uma heroína com poderes especiais.  Por isso, aceite ajuda do marido e de outros familiares próximos. Só não “dê tanto ouvido” às palpiteiras de plantão. Ninguém melhor do que você para conhecer seu filho, não é mesmo?

Continuar lendo

Carinho é o melhor remédio para acabar com o estresse do bebê

Hoje, no blog da Fabee Store, loja de produtos personalizados, vamos dar uma ótima dica para mamães.  Leia abaixo!

Durante a gravidez, é normal a futura mamãe ficar estressada, irritada e passar por momentos difíceis. Só que toda essa mudança de comportamento pode causar problemas de saúde quando a criança nascer. O que fazer então, já que a mudança de humor é algo comum na gravidez?

Continuar lendo

Como impor limites às crianças

Como impor limites às crianças

Há quem afirme que impor limite às crianças é algo que todos os pais sabem fazer. Afinal de contas, não fazemos a vontade dos pequenos quando eles insistem em querer brincar com algo perigoso, como facas ou remédios, não é mesmo? Ou seja, saber dizer não é a chave para aplicar disciplina nas crianças.

Segundo a psicopedagoga paulista Wania Sorguiere, “aprender a aceitar o não é superimportante para moldar o humor do seu filho e fazê-lo entender, desde pequeno, que não se pode ter tudo”.

Mas, qual o momento de começar a impor esse limite? Quanto antes melhor. Alguns especialistas defendem que já no primeiro ano do bebê é preciso criar regras para as crianças: não toque, não suba, não coloque na boca são alguns exemplos.

Com o passar do tempo, as regras vão se adequando à realidade dos pequenos. Agora é preciso definir o horário dos estudos, quantos doces se pode comer ao dia, quantas horas podem ser gastas no computador etc.

Continuar lendo

Como prevenir a obesidade infantil

Como prevenir a obesidade infantil

O que não se consegue mudar durante a infância, será mais difícil de tratar nas décadas posteriores. Por isso, hoje, na categoria dicas para mamães, o blog da Fabee Store traz informações sobre como prevenir obesidade infantil.

A infância é uma etapa em que tudo (ou quase tudo) é possível no relacionamento com os hábitos e condutas. Nessa etapa a personalidade é formada e se estabelecem os padrões que serão a base do comportamento da criança na idade adulta. Por isso, é necessário que todos, direta ou indiretamente relacionados ao mundo infantil, concentrem seus esforços para que a educação da criança seja a melhor possível. Isso lhe proporcionará uma vida saudável em todos os sentidos.

Leia também: Produtos personalizados para o presente do dia das crianças

O hábito de alimentar-se bem desde a infância

Um dos hábitos que podem prevenir a obesidade infantil é criar o costume na criança de alimentar-se bem. Dar-lhes o alimento adequado desde o seu nascimento é a melhor forma de mantê-los com boa saúde. E tudo começa com o leite materno, passando em seguida pelas papinhas até chegar aos alimentos comuns. É preciso que a criança prove de tudo um pouco, que sua alimentação seja variada e completa, principalmente até os dois primeiros anos de idade.

Continuar lendo