Jogos e Brincadeiras – Variações Rummy

Quem leu o post sobre o Rummy vai conhecer umas divertidas variações para este jogo. Se não sabe como é, leia aqui!

 
E vamos à diversão!

 
Rummy de Batidas

O Rummy de Batidas, também chamado de Rummy do Pôquer, requer que os jogadores se arrisquem. Ao invés de baixar cartas, os jogadores seguram as combinações que têm, à medida que ocorrem, até o final da mão. Assim, eles não baixam cartas nas combinações de outros jogadores. Cada jogador recebe seis cartas independentemente do número de participantes, e o jogo prossegue como o Rummy comum, em que cada um tenta fazer combinações e reduzir a quantidade de “morto” (cartas não utilizadas) na mão. Qualquer jogador que tenha boas cartas na mão e ache que seu morto é menor que o de seus adversários pode encerrar a mão batendo na mesa quando chegar a sua vez. Ele joga fora então uma carta e mostra as outras. Em seguida, os demais jogadores mostram suas cartas.

 
Se um jogador, que tenha batido, confirmar que tem o menor morto, vence a mão e seus pontos são calculados subtraindo seu morto do total de cartas nas mãos dos outros jogadores e calculando depois estas diferenças. Se o jogador que bate na mesa porque tem rummy (somente combinações – sem morto – em sua mão), ganha um bônus de 25 pontos de cada um dos jogadores, mesmo que o outro também tenha rummy na mão.

 
Com exceção de um caso de rummy, se alguém bater na mesa, mas depois empatar com outro jogador, este será o vencedor e conseguirá altos pontos. Se, porém, um jogador bater na mesa, mas for confirmado que o outro participante tem um morto menor, quem bateu perde realmente 10 pontos e o vencedor ganha os 10 pontos como bônus.

 
Rummy Virando a Esquina

Também chamado de Rummy de Carta Alta e Baixa, este jogo difere do Rummy clássico porque na sequência, um Ás pode servir como carta alta, como carta baixa, ou ambos. A combinação de Rei-Ás-Dois, por exemplo, é válida e está “virando a esquina”. Os Ases sempre valem 11 pontos nesta versão. Por outro lado, a marcação de pontos é a usual.

 
Rummy da Casa de Barcos

Este jogo é igual ao Rummy clássico, mas com uma diferença: cada vez que pega uma carta do monte de descarte, o jogador também tem que pegar uma da reserva. O jogador só descarta então uma carta. Além disso, as combinações não são mostradas até que um jogador faça o rummy, assim as cartas não podem ser baixadas nas combinações de cartas de outros jogadores. Como no Rummy Virando a Esquina, um Ás pode servir como carta alta ou baixa e podem ser feitas combinações “virando a esquina”. Quando um jogador grita, “Rummy!” os outros revelam suas combinações. O Ás vale 11 pontos, mas por outro lado a marcação do Rummy da Casa de Barcos é feita como a do Rummy clássico, em que as cartas não combinadas nas mãos dos jogadores contam pontos para o vencedor. Não há bônus por fazer um rummy.

 
Cidade da Rainha

O jogo Cidade da Rainha é também chamado de Rummy de uma Combinação. Como no Rummy da Casa de Barcos, os jogadores só devem sair quando fazem o rummy. Nesta versão, a contagem de pontos não é baseada no morto do adversário, mas sim no valor da mão do vencedor. Os Ases valem 11 pontos. Nesta variação, à medida que disputam para fazer o rummy, os jogadores também querem ter o maior número possível de cartas altas em suas combinações.

 
Rummy do Grito

Na versão de Rummy, mais barulhenta que o normal, os jogadores precisam manter olho de águia sobre o descarte de seus adversários. O objetivo é pegar outro jogador descartando uma carta que poderia ter sido usada. O jogador que notar um erro grita: “Rummy!” ao mesmo tempo, a carta vai para o jogador cuja vez está mais próxima. Sob outros aspectos, as regras são as mesmas do Rummy clássico.

 
Rummy de Descarte

Exatamente como seu nome diz, nesta versão de Rummy um jogador só pode sair se acabar com um descarte. A última carta não pode ser posta em combinações, nem usada. Sob outros aspectos, o jogo e a contagem de pontos são os mesmos do Rummy clássico.

 
 
Fonte: O Grande Livro dos Jogos e Brincadeiras Infantis – Debra Wise
Ilustração: Sandy Forrest

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *